Ivone Leão

Google+ Followers

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Câncer

Quando por vezes faço uma visita a casa de algum
amigo, amiga e vejo como pessoas tão próximas estão expostas a inúmeros malefícios para a saúde fico quieta é claro pois não posso ficar incomodando a vida das pessoas sem que elas me peçam uma informação, já acontece aquela situação de açúcar ou adoçante? Mas o que você come?... Você me entende não é? Mas aqui no blog um dos meus meios de comunicação deixo a todos aqueles que já despertaram o interesse na saúde informações preciosas sobre o assunto há oito anos e pasme até hoje os primeiros textos que postei sobre o assunto alimentação x doença ou saúde ainda são desconhecidas da grande maioria das pessoas.

Abaixo algumas informações sobre esse mal que destrói vidas e deixa nas famílias um rastro de dor e indignação pois as informações gerais sobre o assunto ainda estão sob um véu de preconceito e muitas informações chegam de maneira distorcida infelizmente.
O consumismo é estimulado o tempo todo, temos uma sociedade de pessoas ansiosas e metabolicamente disfuncionais  sem o devido conhecimento do próprio organismo e de como atuam os agentes que influenciam na saúde.



"O Fundo Mundial de Pesquisas sobre o Câncer e o Instituto Americano de pesquisas sobre o Câncer, ( WCRF/AICR ), analisou meio milhão de artigos científicos publicados em 5 anos, selecionou 7 mil, que satisfizeram as normas de credibilidade, concluindo que os alimentos de origem vegetal, integrais, tem componentes químicos nutritivos e não nutritivos, que previnem o câncer, e deveriam ser recomendados aos portadores de câncer. 



Por outro lado, existem alimentos com componentes relacionados com a progressão do câncer. São alimentos de origem animal, concentrados em gorduras, as quais em excesso, são promotoras da carcinogênese. ( National Academy Press “ Diet, Nutrition and Cancer” Washington DC 1982) São estes alimentos, o leite de vaca, mas principalmente seus derivados como o queijo, manteiga, etc. 

O simples fato de não usar queijo e manteiga no pão, e óleos nas saladas, em 1200 mulheres portadoras de câncer de mama reduziu 36% a mortalidade após 15 anos, em relação a 1200 mulheres que utilizaram estes alimentos. (December 17, 2014 issue of AICR Cancer Research Update).

Outros fatores cancerígenos destes alimentos são que seu consumo eleva os níveis sanguíneos de IGF-1 ( insulin growth fator- 1 (fator de crescimento insulina-1) relacionado com a progressão do câncer, o excesso de cálcio inibe a conversão da vitamina D em D3 que protege contra o câncer... e o excesso de caseína dos queijos é potente indutor da carcinogênese. ( T. Colin Campbell ; “Untold Nutrition” Nutrition and Cancer 66(6), 1077-1082, 2014)."


As estimativas do site do INCA (instituto nacional  de câncer) abaixo foram para o ano de 2016, infelizmente elas estão sempre defasadas mas é suficiente para compreender a gravidade do tema.

Estimam-se 61.200 casos novos de câncer de próstata para o Brasil em 2016. Esses valores correspondem a um risco estimado de 61,82 casos novos a cada 100 mil homens.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de próstata é o mais incidente entre os homens em todas as Regiões do país, com 95,63/100 mil na Sul, 67,59/100 mil na Centro-Oeste, 62,36/ 100 mil na Sudeste, 51,84/100 mil na Nordeste e 29,50/100 mil na Norte.


Câncer da mama


Para o Brasil, em 2016, são esperados 57.960 casos novos de câncer de mama, com um risco estimado de 56,20 casos a cada 100 mil mulheres
.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer também é o primeiro mais frequente nas mulheres das Regiões Sul (74,30/100 mil), Sudeste (68,08/100 mil), Centro- -Oeste (55,87/100 mil) e Nordeste (38,74/100 mil). Na região Norte, é o segundo tumor mais incidente (22,26/100 mil).



Câncer de cólon e reto

Estimam-se, para 2016, no Brasil, 16.660 casos novos de câncer de cólon e reto em homens e de 17.620 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 16,84 casos novos a cada 100 mil homens e 17,10 para cada 100 mil mulheres.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de cólon e reto em homens é o segundo mais frequente na Região Sudeste (24,27/100 mil) e terceiro nas Regiões Sul (22,35/100 mil) e Centro-Oeste (14,16/100 mil). Nas Regiões Nordeste (7,05/100 mil) e Norte (5,34/100 mil), ocupa a quarta posição. 


Para as mulheres, é o segundo mais frequente nas Regiões Sudeste (22,66/100 mil) e Sul (23,27/100 mil). Nas Regiões Centro-Oeste (16,93/ 100 mil), Nordeste (8,77/100 mil) e Norte (5,89/100 mil), é o terceiro mais frequente.


Câncer do pulmão

No Brasil, para 2016, estimam-se 17.330 de casos novos de câncer de traqueia, bronquios e pulmões entre homens e 10.890 entre mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 17,49 casos novos a cada 100 mil homens e 10,54 para cada 100 mil mulheres.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de traqueia, bronquios e pulmões em homens é o segundo mais frequente nas Regiões Sul (35,17/100 mil) e Centro-Oeste (14,53/100 mil), sendo, nas Regiões Sudeste (19,02/100 mil), Nordeste (9,75/100 mil) e Norte (8,07/100 mil), o terceiro mais frequente. Para as mulheres, é o terceiro mais frequente na Região Sul (20,61/100 mil). Nas Regiões Sudeste (10,56/100 mil), Centro-Oeste (9,37/100 mil) e Nordeste (7,24/100 mil), ocupa a quarta posição. Já na Região Norte (5,07/100 mil), é o quinto mais frequente.

Informe-se!

Neste blog você encontra muitas informações sobre alimentos que nutrem o organismo, fisiologia e até receitas deliciosas e simples para o dia a dia!

Abraço,
Ivone Leão
Apaixonada pela Vida

2 comentários:

Daniel Costa disse...

Ivone Leão
Sempre aprecio ler as tuas crónicas, sobre alimentação. Há uma coisa, presentemente, há mais doenças, dada a maior esperança de vida. De qualquer modo, devemos sempre fazer tudo, para vivermos com qualidade de vida. Esse desiderato passa muito pela qualidade da alimentação e do exercício. Um dos bons exercicios, para a mente estar sempre desperta, é ler boas crónicas, como as tens deixado aqui. Já que a par de exercicio fisico, não ser descurado o mental.
Aqui dispomos da comida mediterrânica. Por exemplo: há tempos, almoçei num antigo restaurante,
Onde ainda havia a tradição das entradas, serem apenas azeitonas e um prato com azeite, para molhar o pão: entradas mediterrânicas!
A sociologia pode explicar, esta particularidade simples, que sendo da tradição, tem a ver com alimentação saudável-
Beijos

Ivone Carneiro Leão disse...

Sim Daniel a alimentação está intimamente ligada às tradições sociais. Aprecio muito suas considerações onde pondera sobre o estado de ânimo e estilo de vida como importantes fatores para o benefício da saúde!! Beijos!